Menu fechado

Tudo sobre as artes Novo novo Dungeons & Dragons 5e de 2024

O Mundo da Nova Edição de Dungeons & Dragons

Matt Miller, editor chefe da Game Informe, fez um artigo intitulado The Art Of The New Dungeons & Dragons, onde explora TUDO SOBRE AS ARTES DOS NOVOS LIVROS DA 5E. Ele visitou semanas atrás os estúdios da Wizards e contou pra os leitores como foi a visita.

Dungeons & Dragons tem um grande ano pela frente. O clássico RPG de mesa está celebrando seu 50º aniversário este ano, e o evento mais significativo dessa celebração é, sem dúvida, o lançamento de uma revisão das regras básicas do jogo, incluindo o Livro do Jogador, Livro do Mestre e Livro do Monstros. Retrocompatíveis com toda a 5ª edição do jogo, os novos livros representam, no entanto, um grande avanço para o jogo, refletindo uma década de iteração e evolução à medida que o jogo explodiu em popularidade.

Os livros não estão longe de chegarem. Jogadores e Mestres  podem aguardar as pré-vendas a partir de 18 de junho; cada livro está previsto para ser vendido por $49.99. Cada um dos três novos livros tem substanciais 384 páginas cada.

Personagens do clássico desenho animado Caverna do Dragão recebem uma transformação nesta arte interna de um capítulo no novo Livro do Jogador. Crédito do Artista: Dmitry Burmak

A equipe do Game Informer teve a boa sorte de visitar a Wizards of the Coast algumas semanas atrás para aprender mais com os artistas e designers sobre o que esperar do jogo revisado, e tem muitos detalhes exclusivos sobre o D&D revisado na revista Game Informer deste mês, traduzidos aqui para vocês pela Toca do Coruja. O artigo da revista inclui uma visão extensiva dos designers da Wizards of the Coast, incluindo Chris Perkins e Jeremy Crawford. As conversas com os designers oferecem uma grande profundidade sobre o que esperar de cada um dos três livros principais que estão por vir. 

A capa frontal da versão recém-revisada do Livro do Jogador de D&D. Crédito do Artista: Tyler Jacobson

Como o primeiro lançamento planejado dos três novos livros de regras básicas, é também provavelmente o mais importante para a maior parte dos jogadores de D&D; sua aparência em cada edição anterior ajudou a definir o tom do jogo.

A nova capa do Livro do Jogador abraça a abordagem revitalizada do jogo de impulsionar personagens lendários de toda a história do jogo. Vemos figuras como Yolande, a rainha élfica, Elkhorn, o guerreiro anão, o divino Mercion e o astuto Molliver, todos embarcando juntos em uma aventura. São figuras que remetem à era mais antiga do jogo. Ao redor deles está um benevolente dragão dourado – uma referência ao “dourado” aniversário de 50 anos do jogo e um lembrete sedutor de que os dragões no título do jogo podem ser aliados tão frequentemente quanto inimigos.

Um dragão dourado se une a um grupo de heróis lendários para confrontar um dragão vermelho e seus lacaios kobold na arte completa da capa frontal do novo Livro do Jogador. Crédito do Artista: Tyler Jacobson

A nova arte da capa vem da experiente mão do ilustrador freelancer, Tyler Jacobson. “Trabalho em D&D desde 2009. E fiz as capas na quinta edição”, diz Jacobson. “Eu fiz o Livro do Jogador e o Livro do Mestre, assim como muitas das outras capas que vieram depois disso para [títulos] como Storm King’s Thunder e Volo’s.”

A direção para a arte da capa tem intenções claras, destinada a refletir o conteúdo interno. “Com a arte da capa, queríamos representar cada experiência”, diz Jacobson. “Como fazemos com que o Livro do Jogador parecer a experiência dos jogadores? E como fazemos com que o Livro do Mestre parecer a experiência do Mestre de Dungeons?”

A contracapa do Livro do Jogador apresenta um grupo desconhecido de aventureiros voando em direção ao perigo nas costas de um dragão de bronze. Crédito do Artista: Tyler Jacobson

Uma peça de arte separada no lado reverso do Livro do Jogador vai na direção oposta dos heróis míticos retratados na frente, retratando um grupo de heróis desconhecidos, e fazendo uma referência aos jogadores que criarão suas próprias lendas.

O novo Livro do Jogador (e todos os livros de regras que se seguirem nesta nova era do jogo) apresentam uma lombada vermelha, que sutilmente remete a alguns sinais visuais clássicos como o conjunto vermelho clássico da década de 1980. Mas seja intencional ou não, o tom vermelho também distingue facilmente os novos livros de quaisquer outros livros de regras recentes que você tenha em sua estante.

Do esboço à arte final do novo Livro do Jogador. Crédito do Artista: Tyler Jacobson

As primeiras impressões dos livros terão um selo de 50 anos de D&D na parte de trás – um reconhecimento do grande aniversário de cinco décadas.

Como os fãs já esperam, você também pode aguardar capas de livros alternativas disponíveis em lojas locais – a nova capa alternativa do Livro do Jogador retrata uma cena magnífica de elfos e um sinuoso dragão dourado, tudo impresso em tratamento de folha de ouro.

Além da capa, não faltam artes preenchendo as páginas dos livros, como evidenciado pelas extensas visuais que vimos nas páginas internas do Livro do Jogador.

O artista Néstor Ossandón Leal mostra o processo do esboço à arte finalizada. Crédito do Artista: Néstor Ossandón Leal

“Muitos das capas de capítulos são heróis famosos”, diz o diretor de arte do estúdio Josh Herman. “Quase todo abridor de capítulo apresenta um herói diferente, ou grupo de heróis, em um cenário diferente. Então, você tem Dragonlance, e outros, como Ravenloft; você tem uma série inteira deles. Enquanto o Livro do Mestre é sobre vilões. A capa é toda sobre os vilões e as ameaças que o Mestre de Dungeons pode apresentar. E nessa arte, você pode ver muitos dos nossos locais famosos e alguns dos nossos vilões famosos em seus abridores de capítulo. Então, é como o outro lado da moeda; queremos apresentar todos os aspectos do jogo de uma maneira que, esperamos, as pessoas possam entender.”

A arte concluída que inicia a seção da classe de Lutador no Livro do Jogador. Crédito do Artista: Néstor Ossandón Leal

A equipe do Game Informer ficou especialmente impressionada com a mistura de personagens e cenários exibidos nos livros revisados. Enquanto muitos livros oficiais anteriores pareciam se concentrar no familiar cenário de Forgotten Realms (casa dos games de Baldur’s Gate), esses novos livros principais parecem abraçar a natureza multiversal de D&D, incluindo os personagens e locais de inúmeros mundos. “Acho que cerca de 10 anos após o lançamento da 5ª edição, todos esses cenários surgiram”, diz Herman. “Como Spelljammer, Dragonlance, Planescape. Provavelmente é por isso que as diferenças são tão grandes; queremos mostrar todas as diferentes maneiras que os jogadores podem jogar, assim como você pode escolher qualquer tipo de personagem, e queremos criar um amplo leque para você escolher.”

Um dragão prateado desfruta da adulação de uma rota de desfile da cidade. Crédito do Artista: Campbell White

A arte nos novos livros principais tem como objetivo central ajudar a aprofundar a compreensão do jogo. Magias frequentemente são mostradas sendo conjuradas. A arte dos antecedentes dos personagens mostra um possível lugar de onde seu herói poderia ter vindo. Isso se estende até mesmo às visuais das criaturas no Livro dos Monstros. “Há muita atenção sobre a mistura; escolher o design do monstro com precisão para o bloco de estatísticas”, diz o diretor de arte Emi Tanji. “Se é uma criatura que causa dano cortante ou algo assim, você quer ter certeza de mostrar garras. E você quer ter certeza de que, se a arte mostrar algo como um ferrão, mas não houver nada no bloco de estatísticas – isso seria estranho, não?”

Os membros da equipe do Game Informer tiveram a chance de explorar páginas concluídas durante sua visita à Wizards of the Coast, ficando impressionados com a abundância de arte que preenche os livros e como a arte é apresentada para servir como uma ferramenta visual de organização. “Trabalhamos com a equipe de design para garantir que cada classe comece com a página da esquerda”, diz Herman. “Enquanto antes, em 2014, era apenas uma sequência contínua. Agora, o que queríamos fazer é que cada classe começasse com uma arte de página inteira no lado esquerdo com um conjunto semelhante de dados principais no lado direito, para que toda vez que você chegasse a uma nova classe, você tivesse quase uma visualização imediata, que tentamos tematizar em torno de quase uma versão icônica do que aquela classe é.”

Arte conceitual revela o novo visual redesenhado para o dragão vermelho. Crédito do Artista: Alexander Ostrowski

Os livros revisados também deram à equipe de arte e design da Wizards of the Coast a chance de retornar a algumas de suas imagens mais icônicas e refinar a abordagem, incluindo os dragões titulares das clássicas cinco espécies metálicas e cinco cromáticas. “Todas as coisas de dragão foram realmente ótimas”, diz Herman. “Passamos por todos os 10 deles. Temos novos designs para todos eles e haverá muito disso no Livro dos Monstros com certeza. Estamos tentando atualizar esses designs para serem algo em que os jogadores possam ver a personalidade desse dragão ou em que bioma eles vivem, ou onde eles se encaixam no elenco de todos os dragões.”

O novo visual para o dragão de bronze, e conceitos para sua arma de sopro. Crédito do Artista: Alexander Ostrowski

Como jogadores de D&D de longa data, os membros da equipe do Game Informer ficaram empolgados com a nova edição. A arte que compartilharam publicamente no artigo apenas uma amostra do que tiveram a oportunidade de revisar; há uma linguagem visual coesa nos novos livros que é cativante. E adoram a maneira como o jogo parece abraçar a longa história de heróis, vilões e monstros nomeados icônicos que surgiram ao longo de 50 anos de jogo.

Grupo no WhatsApp para Falar de RPG

Gostou do artigo? Quer conversar mais? No nosso grupo você conversa sobre dicas, dúvidas, novidades, notícias e muito mais, venha conhecer:
Publicado em:D&D,Notícias

Post relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *